segunda-feira, 23 de setembro de 2013

O erotismo luxuriante de “Aromas de Fêmea”.

O erotismo luxuriante de “Aromas de Fêmea”

Ao ler-se a poesia de Cleberton Santos brota no leitor uma extraordinária carga erótica que nos prende a todos os seus poemas traduzidos a imagens sensuais e objeto de desejo tornando a luxúria em prazeres da carne e aqui brilham os olhos do leitor. Reside neste particular muito do encanto literário em apreço. A linguagem literária não carece de classificações, é universal na manifestação de pensamentos e na qualidade com que os eleitos da poesia a moldam. A descrição íntima da atmosfera voluptuosa que o poeta cria de forma admirável leva-nos ao clímax com este maravilhoso poema carregado de erotismo e imaginação, onde o foco central é a fêmea e não foi por acaso que deu o título do livro, onde o erotismo sob esta forma gera liberdade.

Tudo exalava fêmea.
As hastes nuas exalavam fêmea.
A chuva rala exalava fêmea.
O busto mármore cinza exalava fêmea.
O colorido guarda-chuva exalava fêmea.
Uma música ao longe exalava fêmea.
A poça rasa d'água exalava fêmea.
Os esticados seios da cadela exalavam fêmea.
Tudo exalava fêmea naquela manhã.

A poesia de Cleberton Santos é uma poesia moderna fora dos trâmites clássicos, mas excepcionalmente trabalhada. Neste livro surpreendente que é uma viagem de prazer constante de leitura, o poeta oferece-nos com a beleza dos seus poemas o patamar mais alto do erotismo não caindo no fácil que seria o pornográfico. Escrever a este nível não é para todos. Não sendo eu critico literário, mas sim poeta, leva-me a olhar para os seus versos magnificamente construídos e intelectualmente brilhantes com uma sensibilidade diferente de quem faz análise e crítica literária. São de uma beleza e sensibilidade poética que poucas vezes tenho lido em livros com a mesma temática. O expoente máximo está neste pequeno poema, onde o poeta revela uma sensibilidade fora do comum.

Bilisco o bico do teu peito
a gala escapa dos meus dedos

não ter que pensar é estar fodendo em segredo

Isto é sublime. É uma leitura que exige um esforço intelectual que nos leva a sonhar e estar para lá da razão! Realço alguns poemas onde o poeta no seu desejo intrínseco torna os versos numa carga erótica forte que nos toca os sentidos e nos envolve num erotismo luxuriante.

Carlos Fernando Bondoso – Poeta (Portugal)
23 de setembro de 2013


3 comentários:

Alvaro Giesta disse...

Não conheço o poeta CLEBERTON SANTOS, sequer a sua poesia. Mas conheço bem o poeta CARLOS BONDOSO, e se ele (me) diz da qualidade da poesia com carga erótica do primeiro, lhe dou os meus parabéns. E ao poeta Bondoso o meu abraço pelo seu apreço.

leonor nunes disse...

Agradeço ao meu amigo Carlos Bondoso o ter-me dado a conhecer este blog.
Como amante de bela poesia, aqui virei deliciar-me com as suas palavras em momentos em que o meu sentir, necessita de algo mais profundo do que a rotina diária e palavras supérfulas
Com todo o meu afecto

Leonor

leonor nunes disse...

Agradeço ao meu amigo Carlos Bondoso, o ter levado ao meu conhecimento a existência deste blog.
Como grande de poesia, fiquei fascinada ao ler estas palavras que tocam fundo em almas sensíveis.
Aqui virei, quando precisar de algo mais profundo que a rotina diária e supérfula
Uma nova admiradora do seu trabalho

Leonor