domingo, 30 de agosto de 2009

ACADEMIA DE LETRAS DE JEQUIÉ

CALÇADA RIBEIRINHA

Queria sentar nesta calçada antiga
repousar meus gritos e teoremas
jogar castanhas no buraco d’água.

Queria sentar nesta calçada antiga
sem a pressa dos vendavais urbanos
contar estrelas em esteiras amarelas.

Queria sentar nesta calçada antiga
sem a poesia que me atormenta
sentir a lua fria sobre as pernas.

Queria sentar nesta calçada antiga
e ver surgir do batente liso
a velha sombra da manhã vivida.


RIOS, Dermival (org.). O valor da razão. Jequié: Academia de Letras de Jequié, 2008. p. 143

Um comentário:

Ademar Oliveira de Lima disse...

Estive por aqui em visita ao seu blog!! Abraços!!